A Descriminalização e o uso pessoal de drogas

Quando se fala dos problemas relacionados com álcool, é importante distinguir os termos uso, abuso e dependência. Dependência: Consumo freqüente, compulsivo e descontrolado, visando aliviar sintomas de mal estar e desconforto físico e mental, reconhecidamente acompanhados por clinica de reabilitação, problemas psicológicos e sociais.

Estes dados fazem com que pensemos em um problema de Saúde Pública, onde a verba destinada para aposentadorias precoces, ou licença por doença ou leitos hospitalares para atender ao usuário da bebida, as autoridades poderiam estar disponibilizando esta verba na melhoria da educação e da saúde à população geral, ou em programas de prevenção contra uso abusivo do álcool.

presente estudo de caso faz referencia ao uso abusivo de álcool, seus transtornos e conseqüências sobre um usuário, que procura tratamento em uma unidadedo centro de atenção psicossocial (CAPS ad.) de Cuiabá.

atual contexto em que as drogas no seu volume de substâncias, causas e conseqüências estão inseridas, requereu a proposta de uma nova abordagem para esse complexo problema, trata-se da ressocialização.

Certas campanhas são muito agressivas anunciando falsas ideias sobre álcool; por meio da mentira e slogans atractivos procuram convencer as pessoas a beber.

Deve-se insistir na prevenção ao abuso de drogas, mas como danos maiores se espalham rapidamente no bojo do seu uso deve-se também priorizar a adoção de práticas para enfrentar a disseminação do HIV entre os usuários.

Apesar de terem pouco efeito na redução dos sintomas psicológicos, eles podem amenizar a preocupação e ansiedade gerada pelos pacientes que sentem palpitações fortes durante processo de desmame.

Os indivíduos que consomem grandes quantidades de álcool, quer façam sistematicamente, quer ocasionalmente em reuniões sociais intervaladas por períodos de abstinência, incorrem no perigo de criar problemas de ordem social e de saúde e, eventualmente, de se tornarem doentes alcoólicos.

Também documentados está uso de drogas pelos shamans durante suas atividades curativas e a ingestão de álcool por médiuns possuídos por entidades espirituais nos rituais de cultos afroamericanos.

Como os sintomas de abstinência alcoólica podem piorar rapidamente, é importante procurar atendimento médico mesmo que os sintomas sejam aparentemente leves.

Tipicamente, os programas de reabilitação psicossocial incluem: Psicoterapias individual e coletiva,grupos anônimos de auto-ajuda (programa dos 12 passos) a exemplo dos Alcoólicos Anônimos (AA) e dos Narcóticos Anônimos (NA), aconselhamento de drogas, palestras, psicoeducação, apoio aos familiares, entre outros recursos disponibilizados.

No caso da dependência física e química, corpo se adapta à droga quando ela é usada de forma contínua, podendo gerar sinais de tolerância pelo organismo e até mesmo abstinência quando se interrompe uso da droga.

Durante a abstinência alcoólica, os receptores de glutamato, que estavam habituados com a presença contínua do álcool, ficam hiperativos, podendo desencadear de crises convulsivas a acidentes vasculares cerebrais (ACVs).

No contexto das substâncias psicoativas, a saúde mental e a rede psicossocial têm a importância de proporcionar ao dependente químico a sua reabilitação e inserção na sociedade.

Há algumas considerações acerca do consumo de álcool que merecem atenção da prática clínica diária (Quadro 1). Para que sejam contempladas, faz-se necessário a implementação de procedimentos de avaliações e triagem por profissionais de saúde dirigidas ao uso, abuso e dependência álcool.

Esse conjunto de ações profiláticas é simples e basta apenas conscientização por parte das pessoas para que se alcance sucesso no que diz respeito ao uso consciente e moderado de substâncias licitas e cessação, por completo, do uso das substâncias ilícitas.

Se caminho for AA ou uso controlado do álcool porque paciente quer tentar, vamos trabalhar com essas ferramentas”, diz Analice Gigliotti, chefe do setor de Dependência Química da Santa Casa da Misericórdia do Rio de Janeiro e diretora do Espaço Cliff.

Alguns pacientes que estão no processo de desmame gradual tomam pequenas doses desse tipo de medicamento (10-20mg de propranolol) regularmente, enquanto outros pacientes preferem tomar essa medicação apenas quando os sintomas de palpitação, tremor muscular e ataque de pânico parecem ser incontroláveis.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *